Com apoios a partir de R$ 8, editora lança campanha de assinatura de contos digitais para leitores em quarentena


A Editora Wish lança nesta quinta-feira (02) a “Sociedade das Relíquias Literárias”, uma campanha de assinatura recorrente no Catarse que visa a publicação de contos antigos todos os meses em formato digital e por preços acessíveis. O projeto, que estava previsto apenas para o segundo semestre deste ano, foi adiantado para Abril por conta do “efeito Corona Vírus”, que já vem impactando o funcionamento de editoras e livrarias no país. 

A Editora Wish utiliza o financiamento coletivo desde 2016 para viabilizar a publicação de obras raras da literatura mundial, em especial as narrativas fantásticas e os suspenses vitorianos. Foi o crowdfunding que permitiu a publicação de livros como Os Melhores Contos de Fadas Nórdicos, Sweeney Todd - o barbeiro demoníaco da Fleet Street, A Rainha do Ignoto, Bambi, dentre outros. “Decidimos por lançar a assinatura recorrente para contornar os impactos financeiros provocados pelo surto recente da Covid-19 no Brasil, e proporcionar trabalho para nossos colaboradores freelancers neste período tão complicado para a economia do país”, comenta Marina Avila, CEO da Wish. “Além disso, graças ao formato digital e o preço mais acessível do que o de um livro físico, os leitores, mesmo durante a quarentena, poderão ter acesso a essas edições”, acrescenta.

A “Sociedade das Relíquias Literárias” promete traduzir contos raros da literatura mundial, com foco especial em obras de fantasia, suspense e mistério para o público jovem e adulto. Os apoios variam entre R$8 e R$12 por mês e os apoiadores irão receber os textos nos formatos PDF e Mobi. Para apoiar, acesse: catarse.me/sociedadeliteraria.



Serviço:

Editora Wish

Sociedade das Relíquias Literárias

Apoios a partir de R$8,00

catarse.me/sociedadeliteraria


1 comentário


  • Marcus

    Gostei da proposta da Sociedade das Relíquias Literárias. Vocês pensam em colocar os textos no formato epub?


Deixe um comentário


Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados